Inteligência emocional para nossas crianças. E para os pais?

Achei essa matéria muito interessante e traduzi aqui. Na Alegria da Vila desenvolvemos projetos de estimulação da inteligência emocional para nossas crianças, mas esse artigo pode ajudar os pais também no seu próprio fortalecimento emocional. Vale a leitura. Basicamente trata-se de aprendermos a fazer o que tentamos ensinar aos nossos pequenos: identificar bem suas emoções. Boa Leitura!


Por que as vezes devemos dizer não à positividade - e sim às nossas emoções negativas?

Matéria original da site ted.com

Parece paradoxal, mas aceitar nossas emoções negativas pode realmente nos tornar mais felizes a longo prazo. A psicóloga Susan David explica como.

Este post é parte da série “Como ser um ser humano melhor” do site TED, cada um contendo um conselho útil de alguém da comunidade TED;

A maioria de nós foi instruída a “animar-se” ou “olhar pelo lado positivo” por familiares e amigos bem-intencionados quando algo negativo ocorre. Às vezes, é porque eles nos veem sentindo-se tristes, irritados, ansiosos ou frustrados, mas isso também pode acontecer porque parecemos pensativos, incertos ou apenas sob qualquer outro estado que não seja alegre. Embora possamos ser tentados a dizer "não enche", não o fazemos porque, bem... educação.


Da próxima vez, sinta-se à vontade para fazê-lo (mas, por favor, seja educado). "Ser positivo tornou-se uma nova forma de correção moral", diz a psicóloga Susan David, fundadora e codiretora do Instituto de Treinamento do Hospital McLean da Harvard University Medical School, instrutora de psicologia em Harvard e autora de Agilidade Emocional. trecho aqui).


Suprimir ou afastar-se de nossas emoções difíceis não é saudável ou útil, diz ela.

“O que acontece é que isso enfraquece nossa capacidade de lidar com o mundo como ele é, não como desejamos que seja”, diz ela. “Isso está associado a níveis mais baixos de resiliência, níveis mais baixos de bem-estar e níveis mais altos de depressão e ansiedade. E isso também afeta nossos relacionamentos e capacidade de alcançar nossos objetivos ”.


Então, o que devemos fazer em vez disso?

“Em vez de empurrá-la para o lado ou forçar a positividade, uma forma crítica de lidar com uma emoção difícil é rotulá-la de forma eficaz. No meu trabalho, muitas vezes as pessoas usam rótulos muito em preto e branco para descrever como estão se sentindo ”, diz ela

"Estressado" é um dos rótulos mais comuns. Mas há uma enorme diferença entre o estresse da verdadeira sobrecarga, o estresse, porque você está desapontado, ou o estresse de saber que você está no emprego errado ou no relacionamento errado. Quando podemos rotular nossas emoções com mais precisão, isso nos ajuda a entender a causa dessas emoções e ativa o que é chamado de "potencialidade de prontidão", que é sua capacidade de estabelecer metas e fazer mudanças concretas reais.


Em seguida, quando você identificar sua emoção, “observe a emoção com compaixão. As pessoas frequentemente pensam que a compaixão é sobre ser fraco, preguiçoso , ter dó ou mentir para si mesmo ”, diz David. “Na verdade, a compaixão permite que você crie um espaço seguro dentro de você, no qual você pode correr mais riscos. Você é capaz de explorar o mundo e pode ser mais eficiente, pois sabe que, se as coisas não dão certo, você ainda gostará de si mesmo, ainda será gentil consigo mesmo. A compaixão está associada a maiores níveis de eficácia ”.


Finalmente, “tente perceber a história da emoção pelo que ela é”, diz David. Crie um espaço entre você e o que você está sentindo agindo como um observador e nomeando todas as dimensões de sua experiência. Em vez de simplesmente dizer “estou triste”, ela sugere, “diga algo como 'Estou percebendo que estou me sentindo triste, estou percebendo que estou me sentindo prejudicada, estou percebendo o desejo de sair da sala. "Isso permite que você traga outras partes de si mesmo - como seus valores e suas

intenções – à tona, para superfície".



Isso também coloca a pessoa no comando, e não na emoção. “O que é mais importante não é se você tem pensamentos ou emoções negativas, mas como e se você se envolve nelas”, ela diz, “que é quando esses pensamentos começam a direcionar seus comportamentos e suas interações”.

A matéria original está aqui





Em 2019 na Alegria da Vila iniciamos nosso projeto de inteligência emocional para nossas crianças e criamos uma sala totalmente voltada para ajudar a criança a aprender a identificar suas emoções. Lá temos o “emocionômetro”, cuja função é ajudar a criança a identificar como ela está se sentindo, de forma lúdica e fácil. Elas aprendem desde cedo que é normal ter emoções negativas e que devemos saber lidar com as mesmas. Então? gostaram? Deixe seu comentário!


0 visualização

Whatsapp: (11) 97122-1205

R. Ibimirim, 85 - Vila Mazzei, São Paulo - SP, 02312-020, Brazil

©2013 by Alegria da Vila - educação infantil & berçário. Todos os direitos reservados - marca registrada